Parte do processo

Em cima dos erros

Eu e minhas escolhas, o meu maior juízo. Tudo é uma balança. Passo um, passo dois, passo três. Escolhas podem ser certas e podem ser erros. O resultado dela não afeta sua natureza. Se o passo foi pra frente ou pra trás ele foi dado e isso é o fato. E de fato não nos escondemos. De erros então não fugimos.Assim como meu sábio irmão disse uma vez pra mim e me fez pensar bem mais, “escolhas não são sentenças”. Elas são imutaveis sim, não se desfaz uma escolha, mas se faz uma nova sempre. É ai de onde saimos do engano, do erro e construímos novas possibilidades.
Resgatei a um tempo atrás a ilustração, o desejo de rabiscar e agora resgato com mais força o desejo de me retratar. Muitas vezes por ego, mas muito mais por que falo de mim. Eu aprendi a me expressar dessa maneira. Construir minha imagem em cima dos meus erros e foram muitos desses retratos que me fizeram experimentar.
Somos figuras mutantes. Imprecisas, cheia de diferenças.

0 comments
Submit comment

*